fsfsfsf

Linhares: UPA Infantil registra aumento no número de atendimento de crianças com suspeita de dengue e pais devem ficar atentos aos sintomas

A procura por atendimento de crianças com suspeita de dengue aumentou cerca de 60% na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Infantil, da Prefeitura de Linhares, nas últimas semanas. O número de crianças que buscam atendimento com sintomas graves da doença também aumentou. Em média duas crianças por semana necessitam de internação e manejo hospitalar.

Diante do crescimento dos casos entre os pequenos, o médico Alan Bettcher faz um alerta aos pais e responsáveis. “O paciente com diagnóstico de dengue deve seguir a orientação médica a respeito da hidratação vigorosa, repouso, manter alimentação saudável, evitar uso de anti-inflamatórios como Diclofenaco e ibuprofeno e ácido acetilsalicílico (AAS) e  procurar atendimento médico imediato, caso apareçam sintomas considerados alarmantes, como dor abdominal intensa, vômitos persistente, desmaio ou sensação de desmaio, sangramento na boca ou nariz e lentidão ou irritabilidade”, explica o médico.

Fazem parte do grupo de risco, lactentes menores de dois anos e crianças com alguma comorbidade, como doenças cardiovasculares ou pulmonares, diabetes, anemia falciforme, doença renal crônica.

Em casos de sintomas leves procure a Unidade Básica de Saúde

O médico alerta os pais e responsáveis, para que busquem atendimento na UPA Infantil em casos de sintomas graves da dengue. Os casos de sintomas leves como febre, dor no corpo, dores atrás dos olhos e coceira na pele, devem ser encaminhados às Unidades Básicas de Saúde e caso seja necessário, a unidade encaminha para a UPA Infantil. Vale ressaltar que o resultado  dos testes feitos nas unidades sai no mesmo dia.

Secretária de Saúde pede que população cuide de suas casas e quintais

A secretária de Saúde, Sonia Dalmolin, reforça o pedido para que a população mantenha seus quintais e casas limpos e livres de objetos que podem se tornar um criadouro do mosquito Aedes aegypti, responsável por transmitir os vírus da dengue, da zika e chikungunya.

“Estamos reunindo esforços em várias frentes para combater o mosquito e assim diminuir o número de casos de dengue em nosso município. Porém, mais de 80% dos casos estão nos quintais e residências. Sem o empenho da população não conseguimos avançar no combate à doença. Fica então o nosso apelo para que as pessoas nos ajudem nessa luta contra o mosquito da dengue”.

Além do trabalho dos agentes de endemias, de casa em casa e ações de conscientização, o carro fumacê tem percorrido os bairros e localidades do interior do município desde a primeira semana de fevereiro.

(DA REDAÇÃO \\ Gut Gutemberg)

(INF.\FONTE: Internet \\ Rosimere Ronquette)

(FT.\CRÉD.: Internet \\ Divulgação)